Categorias
Geral

Volta do público ao autódromo de Cascavel marca etapa final da Gold Classic

Com 70 carros inscritos até o momento, corridas de 31 de outubro vão colocar em disputa a 35ª edição da Cascavel de Ouro e a segunda edição da Cascavel de Prata

A quarta etapa da Gold Classic será cercada de motivos especiais para a categoria que está prestes a celebrar três anos de história no automobilismo brasileiro. Marcadas para o dia 31 de outubro, no Autódromo Internacional Zilmar Beux, as corridas vão apontar todos os campeões da temporada de 2021 sob um cenário que remete a contextos históricos: pela primeira vez a Gold Classic colocará em disputa a Cascavel de Ouro, tida como um dos troféus mais tradicionais do esporte brasileiro.

Espron-BMW e Aldee-VW, configurações de carros presentes na Cascavel de Ouro

Tendo experimentado vários formatos e sido prestigiada por um grande número de categorias em seu mais de meio século de história, a Cascavel de Ouro chega em 2021 à sua 35ª edição, integrando a programação oficial de eventos comemorativos ao 70º aniversário do Município de Cascavel. O fim de semana de corrida será marcado, também, pela realização da Copa Cascavel 70 Anos de Marcas, torneio composto por três baterias e que valerá o título do Campeonato Metropolitano desta temporada.

O regulamento da Gold Classic admite uma ampla variedade de modelos de carros

Com a presença dos torcedores no autódromo liberada em número limitado a 2.000 pelas autoridades de Cascavel, o evento será transmitido para todo o Brasil pela TV Cultura a partir das 13h do domingo. O canal de YouTube Auto+ mostrará todas as corridas da programação ao vivo. A geração de imagens estará a cargo da Master TV. Serão duas corridas com os carros das divisões 1 e 2 da Gold Classic, valendo a 2ª Cascavel de Prata, e outras duas das divisões 3 e 4, colocando em disputa a 35ª Cascavel de Ouro.

A adesão de pilotos do modelo GM Omega é um dos destaques da Cascavel de Ouro

O automobilismo cascavelense será representado por cinco pilotos na 35ª Cascavel de Ouro. Os irmãos Juliano e Heverson Bastos, inscritos na classe GT & Protótipos da Divisão 3, estarão no grid revezando a pilotagem do Aldee-VW número 45 da Caús Motorsport. Thiago Klein e Odair dos Santos formarão dupla na Divisão 4/Premium, com o GM Omega número 74 da Paraguay Racing. Eles venceram a Cascavel de Ouro duas vezes, em 2016 e 2020, nesta última tendo como parceiro o pernambucano Beto Monteiro.

Luc Monteiro, organizador da Gold Classic, fará a Cascavel de Ouro com um Opala

O quinto cascavelense no grid será Luc Monteiro, com o GM Opala número 66 da catarinense Reuter Competições/Careca Competições. “Está tudo certo para correr. Só não sei se vou ter tempo para isso”, diz Monteiro, que é organizador da Gold Classic e promotor da 35ª Cascavel de Ouro. “O Armin Kliewer, que é piloto de Roraima, me desafiou a correr com o carro dele, aí tive que aceitar. Talvez seja o caso de a equipe escalar um parceiro para uma das corridas, para eu conseguir tratar das coisas do evento”, acrescenta.

Consultoria de Comunicação e Assessoria de Imprensa

SIG Comunicação – sig@sigcomunicacao.com.br

Silvana Grezzana Santos | +55 (11) 999.726.966

Crédito fotos: Rafa Catelan

Categorias
Geral

Gold Classic em Cascavel terá transmissão ao vivo da Rede Cultura para todo o Brasil

Geferson Kern e Rodrigo Mattar, dupla titular da Fórmula Indy na emissora, responderão por narração e comentário no evento que terá em disputa a 35ª Cascavel de Ouro

Pela primeira vez a Cascavel de Ouro terá transmissão ao vivo em televisão aberta para todo o Brasil. Confirmada para dia 31 de outubro no Autódromo Internacional Zilmar Beux, a 35ª edição do evento mais tradicional do automobilismo do Sul do país será mostrada pela TV Cultura. Em 2021 a Cascavel de Ouro terá na pista os pilotos e carros da Gold Classic Brasil, categoria que responde atualmente pelo grid mais numeroso do país.

Rodrigo Mattar e Geferson Kern vão comandar a transmissão ao vivo. Foto: Divulgação

No ar, a transmissão da 35ª Cascavel de Ouro será comandada pelo narrador Geferson Kern, do Rio Grande do Sul, e pelo comentarista Rodrigo Mattar, do Rio de Janeiro. Considerados especialistas em automobilismo de competição e também responsáveis por blogs e produtos de boa audiência nas mídias digitais, os dois profissionais são as vozes da Fórmula Indy nas transmissões das corridas para o Brasil, também pela TV Cultura.

Os motores 1.6 e 2.0 compõem as divisões 1 e 2 da Gold Classic Brasil. Foto: Rafa Catelan

“A Cascavel de Ouro figura na tríplice coroa das corridas mais importantes do Brasil em sua história”, considera Kern. “Depois de ter sido disputada por máquinas como carros de turismo, do Maverick ao Etios, máquinas desde o protótipo Avallone até o Mercedes SLS e carros de Fórmula 2 e Fórmula 3 em idos tempos, é incrível saber que teremos na pista o grid numeroso e charmoso da Gold Classic. É uma satisfação imensa fazer parte disso”.

Divisão 3 e Divisão 4 vão formar o mesmo grid na Cascavel de Ouro. Foto: Rafa Catelan

A geração de imagens estará a cargo da Master TV. Com décadas de atuação, a produtora com sede em Cascavel responde pelo trabalho em categorias de automobilismo como Stock Car, Copa Truck, Copa Shell HB20, GT Sprint Race, Porsche Cup Brasil e Endurance Brasil. Reconhecida em várias modalidades, a empresa respondeu em 2021, por exemplo, pela transmissão ao vivo da final da Copa Libertadores da América para quase 200 países.

A Divisão 4 é destaque no grid da 35ª edição da Cascavel de Ouro. Foto: Rafa Catelan

O evento de 31 de outubro será composto por quatro corridas. Duas delas para o grid da Divisão 1 e da Divisão 2, para carros com pneus radiais de rua e equipados com motores até 1.6 e 2.0, respectivamente. A somatória dessas duas provas colocará em disputa a segunda edição da Cascavel de Prata. As outras duas corridas, valendo a Cascavel de Ouro de 2021, terão os carros da Divisão 3 e da Divisão 4, com maior abrangência técnica.

Os grids contarão com modelos como os VW Gol, Voyage, 1600, Fusca e Passat, os Ford Maverick e Escort, os Chevrolet Omega e Chevette, os Fiat Uno e 147, o Puma GTE, o Farus TS, o Porsche 914, além de protótipos históricos como o Aldee-VW e o Espron-BMW. A previsão da organização do evento é de que os dois grids totalizem um recorde de carros inscritos. A expectativa é de Cascavel de Ouro e Cascavel de Prata reúnem pelo menos 85 carros.

Consultoria de Comunicação e Assessoria de Imprensa

SIG Comunicação – sig@sigcomunicacao.com.br

Silvana Grezzana Santos | +55 (11) 999.726.966

Categorias
Geral

Gold Classic mantém Cascavel de Ouro no calendário do automobilismo em 2021

Confirmada para 31 de outubro no Autódromo Internacional Zilmar Beux, etapa final colocará em disputa a 35ª edição da corrida mais tradicional do Sul do Brasil

As corridas da etapa final da Gold Classic colocarão em disputa, além dos títulos das quatro divisões do campeonato, o troféu mais tradicional do automobilismo brasileiro: a Cascavel de Ouro. Marcado para 31 de outubro no Autódromo Internacional Zilmar Beux, em Cascavel, o evento tem participação confirmada de pilotos de 55 carros, todos devidamente já inscritos por pilotos de cinco estados brasileiros e da Argentina.

A Gold Classic terá em disputa a 35ª Cascavel de Ouro

De 2014 a 2020 a Cascavel de Ouro teve seu grid formado pelos carros de Marcas 1.6, que atualmente compõem o campeonato da Turismo Nacional. Inicialmente, seria o formato para esta 35ª edição, que acabou tendo sua realização cancelada pelo piloto Edson Massaro, promotor do evento desde 2017. A etapa da Gold Classic estava no cronograma do evento e teve sua realização mantida pelo organizador Luc Monteiro.

O narrador Luc Monteiro, organizador da Gold Classic

“Diante das mudanças que ocorreram consideramos a Gold Classic a categoria perfeita para que a Cascavel de Ouro fosse mantida no calendário”, expõe o engenheiro Renato César Pompeu, presidente do Automóvel Clube de Cascavel. “O campeonato nasceu em Cascavel e em poucos anos consolidou um sucesso de aceitação no Brasil inteiro. A Gold Classic, hoje, representa muito desses 55 anos de história do Automóvel Clube”, diz.

A diversidade de carros, marca maior da Gold Classic

A Divisão 4 da Gold Classic, composta pelas classes Premium e Stock, totaliza 22 carros inscritos. Na Divisão 3, com as classes Turismo e GT & Protótipos, são sete carros. São os pilotos que vão disputar a inclusão de seus nomes na galeria dos campeões da Cascavel de Ouro. Essa disputa seguirá um regulamento desportivo particular que não interfere no formato da etapa e na disputa pelo título das categorias do campeonato.

As divisões 1 e 2 terão em disputa a Cascavel de Prata

Para a Divisão 2, que tem 12 carros inscritos nas classes GT e Turismo, e a Divisão 1, com 14 carros nas classes Speed e Turismo, a etapa de Cascavel colocará em disputa a 2ª Cascavel de Prata. “As categorias são determinadas pelo potencial e pelas características de cada carro. Proporcionar a Cascavel de Prata para as divisões 1 e 2 é uma forma de contemplar todos com a possibilidade real de fazer história”, considera Monteiro.

A Cascavel de Ouro de 2020, com os carros da Turismo Nacional, teve como campeões o paraguaio Odair dos Santos, o paranaense Thiago Klein e o pernambucano Beto Monteiro. Eles competiram com um GM Onix da gaúcha Giocar Racing-Autotech. Na Cascavel de Prata, que teve sua primeira edição, a vitória foi do paranaense Rafael Colombari e do goiano Pablo Alves, com o Ford Fiesta da Ferrari Motorsport.

OS PARTICIPANTES DA 35ª CASCAVEL DE OURO

(Lista de pilotos inscritos na etapa final da Gold Classic)

DIVISÃO 4

1 – Mário Diego Broering (SC), GM Omega/Sidney Paint, classe Stock

2 – Gabriel Bechtold/Marcelo Tatsch (SC/PR), GM Omega/Renn Tech, classe Stock

6 – Caio Lacerda (SP), Aldee-VW/HT Guerra, classe Premium

9 – Ciro Paciello (SP), GM Omega/Big Power Competições, classe Premium

11 – Armin Kliewer (RR), GM Omega/Careca Competições, classe Premium

12 – Mauro Kern Júnior (SP), Puma GTE/HT Guerra, classe Premium

14 – Anderson Andrade (PR), GM Omega/Careca Competições, classe Premium

16 – Denísio Casarini (SP), Willys Interlagos/Casarini Racing, classe Premium

17 – Ricardo Domenech/Rogério Barbato (SP/SP), GM Opala/RTC Racing Team

19 – Maurício Gaudêncio (PR), GM Omega/Careca Competições, classe Premium

20 – Deninho Casarini (SP), Porsche 914/Casarini Racing, classe Premium

27 – Wanderlei Berlanda (SC), GM Omega/Careca Competições, classe Premium

28 – Rubens Kliewer (PR), GM Omega/Careca Competições, classe Stock

33 – Roberto Lacombe (RS), Aldee-VW/Lacombe Motorsport by Mascarello, classe Premium

35 – Alex Morais (PR), Aldee-VW/Paraná Racing, classe Premium

37 – Giovani Almeida (SP), Aldee-VW/HT Guerra, classe Premium

38 – Luciano Fracaro (SP), GM Omega/Franzói Racing, classe Premium

42 – Richard Heidrich (SC), GM Omega/Careca Competições, classe Premium

46 – Robby Perez (ARG), Aldee-VW/Reverenda, classe Premium

55 – Paulo Loco Figueiredo (SP), Aldee-VW/Martini A1, classe Premium

302 – Leovaldo Petry (RS), Ford Maverick/Project Motorsport, classe Premium

343 – Franccesco Esposito (PR), GM Omega/Gasoline Racing, classe Stock

DIVISÃO 3

15 – Heitor Nogueira Filho (SP), Espron-BMW/Joes Racing, classe GTP

45 – Juliano Bastos/Heverson Bastos (PR/PR), Aldee-VW/Caús Motorsport, classe GTP

82 – Dudu Pimenta/Luiz Sérgio Santos (SP/SP), Puma GTE/EP reality-Quake 2, classe GTP

335 – Rogério Schuhli/Thiago Brandt (SP/SP), Aldee-VW/Terraquatro, classe GTP

337 – Leonardo Almeida (SP), Porsche 914/HT Guerra, classe GTP

339 – Rafael Schuhli (SP), Puma GTE/Terraquatro, classe GTP

913 – Carlão Estites (SP), Ford Escort/HT Guerra, classe Turismo

DIVISÃO 2

10 – Marcelo Kroth/Diego Lino (PR/PR), VW Gol/Garagem 88 Competições, classe Turismo

22 – Marcelo Kairis (SP), Puma GTE/Paddock-Saúva Racing, classe GT

30 – Carlos Eduardo Harmel (SP), VW Gol/JR Competiões, classe Turismo

32 – Reinaldo Cangueiro (SP), Farus TS/Canga Gulf Team, classe GT

43 – Hamilton Morsch (PR), GM Chevette/SR Competicões, classe Turismo

44 – Guilherme Melo (MG), Puma GTE/Terraquatro, classe GT

74 – Arthur Bailo/Thiri Lorentz (PR/PR), VW Gol/Thiri Racing, classe Turismo

65 – Willian Chahine (SP), VW Passat/Paddock-Coelho’s, classe Turismo

69 – Solon Pezzini (MG), VW Gol/Go Racing, classe Turismo

158 – André Padilha (RS), VW Gol/158 Competições, classe Turismo

248 – Leandro Kairis (SP), Fiat 147/Paddock-Saúva Racing, classe Turismo

444 – Alexandre Peppe (SP), VW Passat/HT Guerra, classe Turismo

DIVISÃO 1

8 – Juliano Meira (SP), VW Voyage/Paddock-Coelho’s, classe Turismo

41 – Ike Nodari (SC), Fiat Uno/Terraquatro, classe Turismo

49 – Paulo Jalles (MG), Fiat Uno/Go Racing, classe Turismo

66 – Almir Morales (SC), VW Voyage/MP Competições-66 Motorsport, classe Turismo

78 – Matheus Beccalli (SP), VW Passat/HT Guerra, classe Turismo

79 – Norberto Kröning Correa (RS), VW Fusca/Premiocar, classe Speed

81 – Marcos Ramos/José Cordova (PR/PR), Peugeot 205/Cordova Motorsport, classe Turismo

88 – Moacir Fighera/Daniel Fighera (RS/RS), VW Fusca/Fighera Competições, classe Speed

101 – Everton CostaWagner (SP), VW Passat/Coelho’s, classe Turismo

112 – Carlos Guizzo (RS), VW Fusca/Ele & Ela Racing, classe Speed

133 – Duda Weirich (PR), VW Voyage/Weirich Racing, classe Turismo

166 – Andrew Leonardi (PR), VW Gol/Thiri Racing, classe Turismo

222 – Fábio Tokunaga (PR), VW Gol/Red Foot Racing Team, classe Turismo

777 – Paulo Henrique Costa (PR), VW Voyage/Red Foot Racing Team, classe Turismo

Consultoria de Comunicação e Assessoria de Imprensa

SIG Comunicação – sig@sigcomunicacao.com.br

Silvana Grezzana Santos | +55 (11) 999.726.966

Crédito fotos: Rafa Catelan

Categorias
Geral

Gold Classic rompe fronteira e consolida seu décimo evento com GP Uruguai

Leovaldo Petry conquista vitória geral em Rivera com Ford Maverick que atende proposta de regulamento para implantação de novo grid a partir de 2022

Criada e realizada pela primeira vez em Cascavel, no Autódromo Internacional Zilmar Beux, a Gold Classic Brasil rompeu a fronteira quase três anos depois de seus primeiros momentos. O décimo evento da história da categoria, que tem auferido os grids mais numerosos do automobilismo brasileiro, teve no último domingo (12) a realização extracampeonato do GP Uruguai. O Autódromo Eduardo Prudêncio Cabrera, palco da disputa, localiza-se na cidade de Rivera, que marca a fronteira com o Brasil sendo vizinha à gaúcha Santana do Livramento.


Largada do GP Uruguai, com Leovaldo Petry à frente

Em que pese os contingentes numerosos da categoria nas pistas brasileiras onde já teve eventos – Cascavel, Curitiba e Interlagos –, o grid do GP Uruguai foi o mais enxuto da Gold Classic em dez edições realizadas. Foram 28 os carros na pista de 3.160 metros de Rivera. O grid da primeira corrida do domingo contou com 27, decorrência do incêndio que consumiu parte do Aldee-VW do paranaense Paulo Rogério Stelle nos treinos livres de sábado. Stelle formou uma dupla de última hora com o gaúcho César “Bica” Vianna na Divisão 2/Turismo.

Giovani Almeida foi o vencedor da prova na Divisão 4

O evento no Uruguai acolheu uma experiência da Gold Classic voltada à Super Gold, categoria para carros de preparação acima dos limites admitidos pelo regulamento técnico: a Super Gold poderá formar um grid à parte nos eventos de 2022, a partir de uma composição em discussão entre organização e pilotos. O vencedor geral do GP Uruguai, inclusive, integrou a Super Gold: o gaúcho Leovaldo Petry, com um Ford Maverick. O catarinense Rodrigo Bonora, com uma carroceria de Fusca instalada sobre o chassi de um Aldee-VW, ficou com a segunda colocação.


Flores e Lacombe em dobradinha gaúcha na D3/GTP

Pela Divisão 4, Giovani Almeida, campeão na Divisão 2/Turismo, conquistou a vitória no GP Uruguai na soma dos pontos das duas baterias. A segunda posição coube a Ciro Paciello, piloto do GM Omega da Big Power Competições. Mauro Kern, de Puma GT, e Caio Lacerda, de Aldee-VW, foram terceiro e quarto. Todos são pilotos paulistas. O quinto lugar coube a Stelle. A Divisão 3 teve vitórias do paulista Carlão Estites, com o Ford Escort da HT Guerra, e do gaúcho Leonardo Flores, com o VW Fusca da 55Racing, nas divisões Turismo e GTP, respectivamente.

Carlão Estites foi campeão na Divisão 3/Turismo

Pela Divisão 2/Turismo, vitória dos gaúchos Sérgio e Anderson Rocha, pai e filho, pilotos do GM Kadett da RS Sports Team. O catarinense Fábio Menegaro foi o segundo com o VW Voyage da Menegaro Racing. Willian Chahine, paulista inscrito com o VW Passat da Paddock Racing-Coelho’s, ficou em terceiro, à frente do gaúcho André Padilha, piloto do VW Gol da 158 Competições, e do uruguaio Andrés Rachid, com o Ford Escort da Turco Garage. A classe GT teve vitória do paulista Marcelo Kairis, com o Puma GT da Paddock/Saúva Racing.

A família Rocha triunfou na Divisão 2/Turismo

Houve vitória de pai e filho também na Divisão 1/Speed, com Moacir e Daniel Fighera à frente de Carlos Guizzo, ambos com VW Fusca e competindo por equipes próprias. Fechando a “trinca” gaúcha, o terceiro foi Jorge Machado, com o VW 1600 da paulista LF Competições. Na classe Turismo a vitória foi do paulista Juliano Meira, com o VW Voyage da Paddock Racing/Coelho’s, que empunhou a bandeira do Brasil na volta da vitória e foi aplaudido pela torcida uruguaia. A Gold Classic Brasil terá sua etapa final no dia 31 de outubro em Cascavel.


Marcelo Kairis, representante da Divisão 2/GT
Fighera e Guizzo, os gaúchos da Divisão 1/Speed
Juliano Meira obteve vitória na Divisão 1/Turismo

RESULTADOS DO GP URUGUAI GOLD CLASSIC

Divisão 1/Turismo

1°) Juliano Meira (SP), VW Voyage, Paddock Racing-Coelho’s

2°) Ike Nodari (SC), Fiat Uno/Terraquatro

3°) Tarcires Soares (CE), Fiat Uno/Boteco Praia-Saúva Racing

4°) Paulo Henrique Costa (PR), VW Voyage/Red Foot Racing Team

5°) Almir Morales (SC), VW Voyage/66 Motorsport-MP Competições

6º) Nando Brock (RS), Mini Cooper/Eltz Racing

Divisão 1/Speed

1°) Moacir Fighera/Daniel Fighera (RS/RS), VW Fusca/Fighera Competições

2°) Carlos Guizzo (RS), VW Fusca/Ele & Ela Racing

3°) Jorge Machado (RS), VW 1600/LF Competições

Divisão 2/Turismo

1°) Sérgio Rocha/Anderson Rocha (RS/RS), GM Kadett/RS Sports Team

2°) Fábio Menegaro (SC), Menegaro Racing

3°) Willian Chahine (SP), VW Passat/Paddock Racing-Coelho’s

4°) André Padilha (RS), VW Gol/158 Competições

5°) Andrés Rachid (URU), Ford Escort/Turco Garage

6º) César Vianna/Paulo Stelle (RS/PR), VW Voyage/Lacombe Motorsport

7º) Leandro Kairis (SP), Fiat 147/Paddock-Saúva Racing

Divisão 2/GT

1°) Marcelo Kairis (SP), Puma GTE/Paddock-Saúva Racing

Divisão 3/Turismo

1°) Carlão Estites (SP), Ford Escort/HT Guerra

2°) Josimar Ribeiro (RS), VW Gol/Magro Mello Competições

Divisão 3/GT & Protótipos

1°) Leonardo Flores (RS), VW Fusca/55Racing

2°) Roberto Lacombe (RS), VW Gol/Lacombe Motorsport by Mascarello

Divisão 4/Premium

1°) Giovani Almeida (SP), Aldee-VW/HT Guerra

2°) Ciro Paciello (SP), GM Omega/Big Power Competições

3°) Mauro Kern (SP), Puma GTE/HT Guerra

4°) Caio Lacerda (SP), Aldee-VW/HT Guerra

5°) Paulo Stelle (PR), Aldee-VW/Lacombe Motorsport by Mascarello

Super Gold

1°) Leovaldo Petry (RS) Ford Maverick/Project Motorsport

2°) Rodrigo Bonora (SC), Aldee-VW-Fusca/Bonora Racing

Consultoria de Comunicação e Assessoria de Imprensa

SIG Comunicação – sig@sigcomunicacao.com.br

Silvana Grezzana Santos | +55 (11) 999.726.966

Crédito fotos: Rafa Catelan

Categorias
Geral

35ª Cascavel de Ouro e 2ª Cascavel de Prata adiadas para 2022

Empresa promotora do evento mais tradicional do automobilismo do Sul do Brasil anuncia cancelamento das corridas que aconteceriam no fim de outubro

A Cascavel de Ouro não vai integrar o calendário de competições automobilísticas de 2021. Inicialmente marcada para 31 de outubro, a 35ª edição da corrida mais tradicional do Sul do Brasil foi adiada para 2022, segundo comunicado emitido a pilotos e equipes nesta quinta-feira (2) pelo piloto Edson Luiz Massaro, diretor da Masso Sports Ltda., empresa promotora do evento. A decisão abrange também a segunda edição da prova Cascavel de Prata.

“Pesa na decisão, além de questões pessoais não pertinentes ao momento, a adesão abaixo do esperado dos pilotos e equipes às duas corridas propostas”, escreveu Massaro no comunicado, que foi encaminhado também ao presidente do Automóvel Clube de Cascavel, Renato Pompeu. “Os efeitos da pandemia do Covid-19 ainda trazem muita incerteza aos participantes do evento, segundo eles próprios têm nos manifestado”, observou o organizador.

A Masso Sports responde pela promoção e organização da Cascavel de Ouro desde 2017, ano em que reuniu 56 carros para. No ano seguinte foram 68 carros, maior patamar de toda a história, o que levou o evento a procedimentos pré-classificatórios para definição das 55 vagas disponíveis no grid. A corrida de 2019 teve 61 carros inscritos. Em 2020, ano da implantação da Cascavel de Prata para os modelos de carros mais antigos, foram 51 carros no total.

Uma das inovações adotadas pela Masso Sport nestas quatro edições foi a premiação em dinheiro inédita no automobilismo: R$ 100 mil por edição – em 2018 foram R$ 150 mil para os cinco primeiros colocados. “Todas as nossas corridas tiveram transmissão ao vivo na televisão, o nome Cascavel de Ouro ganhou ainda mais peso do que já tinha. Vamos manter essa história em alto nível, e para isso é necessário que tenhamos essa pausa em 2021”, finaliza Massaro.

Consultoria de Comunicação e Assessoria de Imprensa

SIG Comunicação – sig@sigcomunicacao.com.br

Silvana Grezzana Santos | +55 (11) 999.726.966

Crédito fotos: Vanderley Soares

Categorias
Geral

Mitsubishi Cup investe em acordos de mídia para divulgação da temporada 2021

Todas as sete etapas do rally cross-country de velocidade promovido pela Mitsubishi Motors receberão ampla cobertura na TV aberta e canais por assinatura

A temporada 2021 da Mitsubishi Cup, rally cross country de velocidade promovido pela Mitsubishi Motors abrirá sua 22ª temporada no próximo dia 22 de maio, quando os veículos 4×4 especialmente produzidos pela Mitsubishi Motors estarão alinhados no pórtico de largada.

A temporada contará com sete etapas e 21 provas nas cidades de Ribeirão Preto, Jaguariúna, Iracemápolis e Cordeirópolis, além de Mogi Guaçu. Cada uma delas receberá ampla cobertura dos canais de TV aberta e por assinatura no Brasil.

Na TV aberta, o programa Auto Esporte, exibido pela Globo nas manhãs de domingo contará aos espectadores o que ocorreu de mais importante na categoria após cada uma das sete etapas. O mesmo ocorrerá no programa Show do Esporte, exibido também aos domingos pela Rede Bandeirantes.

Já a TV Gazeta dedicará espaço para a cobertura da Mitsubishi Cup 2021 em seu programa Momento Velocidade, exibido dentro da Gazeta Esportiva todos os domingos entre as 18h e 19h.

Os canais por assinatura também dedicarão um amplo espaço em sua programação para a cobertura da Mitsubishi Cup. Os fãs da velocidade poderão acompanhar tudo o que acontece em cada uma das sete etapas por meio dos programas Sport Center, exibido pelos canais ESPN. O programa Super Motor, exibido pelo canal Band Sports às quartas e domingos também mostrará o que aconteceu de mais importante em cada uma das provas da categoria.

Calendário Mitsubishi Cup 2021

Confira abaixo o calendário das provas da temporada 2021 da Mitsubishi Cup:

  • 22 e 23 de maio (rodada dupla) – Mogi Guaçu (Autódromo Velocitta)
  • 26 de junho – Iracemápolis
  • 31 de julho – Ribeirão Preto
  • 25 de setembro – Cordeirópolis
  • 23 de outubro – Jaguariúna
  • 20 de novembro – Mogi Guaçu (Autódromo Velocitta)

Sobre a Mitsubishi Cup

Organizada em parceria com a Spinelli Racing, a Mitsubishi Cup é aberta a todos aqueles que curtem acelerar um veículo especialmente preparado, em meio às mais desafiadoras estradas de terra espalhadas pelo Estado de São Paulo.

A competição oferece a pilotos e navegadores a experiência de participarem de um rally que segue os regulamentos estabelecidos pela Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA), tudo em um ambiente familiar e prazeroso.

Com categorias para todos os níveis de participantes, a Mitsubishi Cup é a competição ideal para empresários e profissionais de diferentes áreas, amantes da velocidade, que enxergam o automobilismo e especialmente o rally como um hobby a ser praticado durante os finais de semana.          

A competição também é uma oportunidade perfeita para aqueles que estão trabalhando para se tornar um piloto ou navegador profissional.

Na temporada 2021, os participantes serão divididos em sete categorias de acordo com o veículo e o nível de experiência em competições do gênero: Outlander Sport R, Outlander Sport R Pró, L200 Triton ER, L200 Triton ER Pró, L200 Triton Sport R, L200 Triton Sport R Pró e L200 Triton Sport RS.

Para participar não é exigida nenhuma experiência prévia de pilotos e navegadores. As categorias “Pró” são condicionadas à participação de, no mínimo, dez veículos inscritos na primeira etapa da temporada.

A cada etapa, os organizadores da categoria também promoverão uma série de atividades paralelas às corridas, como forma de oferecer experiências marcantes para diferentes tribos amantes de esportes, aventura e contato próximo com a natureza.

“A Mitsubishi Cup foi pensada para proporcionar aos participantes o prazer de ser protagonista em um rally, seja como piloto, navegador ou equipe. A competição é a oportunidade perfeita para os participantes descarregarem todo o stress do dia a dia de trabalho, acelerar, desafiar limites e principalmente se divertir”. Afirma Letícia Mesquita A. Oliveira, diretora de marketing da Mitsubishi Motors no Brasil.

“Muito mais que uma competição, a Mitsubishi Cup é um estilo de vida. A confraternização e a troca de experiências entre amantes do mundo do rally, formam o espírito da competição há mais de 20 anos”, complementa a executiva. 

A Mitsubishi Motors é a única montadora na América Latina que tem uma linha de produção de veículos de competição. Até hoje, a marca já produziu mais de 650 veículos para as estradas de terra e para as pistas.

Os veículos participantes da Mitsubishi Cup são especialmente produzidos pela marca dos três diamantes, que conta com a expertise técnica da Spinelli Racing, responsável pela organização e por todas as questões técnicas da competição.

“Como responsáveis pela organização do campeonato, nosso trabalho envolve organizar o evento para oferecer o formato mais profissional e prazeroso para pilotos, navegadores e equipes. Nosso objetivo é proporcionar a todos os participantes a legítima experiência de participar de um rally, com todo o respaldo e estrutura que a Mitsubishi oferece”. Afirma Guilherme Spinelli, diretor da Spinelli Racing.

“A cada etapa, nos empenhamos em oferecer o melhor evento de rally possível para competidores e equipes, sejam elas iniciantes ou veteranas, em cada uma das categorias”, complementa Guilherme.

Protocolos de segurança frente à pandemia

Cada etapa será realizada respeitando uma série de protocolos de segurança em relação ao contágio do Covid-19, conforme regulamentação da Confederação Brasileira de Automobilismo.

A temporada 2021 da Mitubishi Cup tem patrocínio de Lubrax-Petrobras, W.Truffi Blindados, Axalta, Banco Itaú, Pirelli, Harman-JBL, Mit Consórcio, Pilkington e Mit Seguros.

Sobre a HPE Automotores

A HPE Automotores do Brasil é a representante oficial da Mitsubishi Motors no País. Tem escritório no coração comercial de São Paulo (SP), fábrica em Catalão (GO) e concessionárias espalhadas por todo o território brasileiro. A empresa está no mercado desde 1991 e, além de produzir e vender veículos de alta qualidade, organiza eventos esportivos com clientes há mais de 25 anos.

Para a HPE, ser 4×4 é um estilo de vida.

Para mais informações sobre a HPE Automotores, por favor, contate: Gabriel S. El’Bredy – gabrielbredy@hpeautos.com.br – Tel.: + 55 11 5694-2789 / 11 9 9937-6820

Categorias
Geral

Ex Globo, Ivan Moré será a nova cara da Mitsubishi Cup em 2021

São Paulo, Abril de 2021 – A Mitsubishi Cup, maior rally cross-country de velocidade da América Latina, traz mais uma grande novidade para a temporada 2021. O Jornalista e apresentador Ivan Moré, ex Globo Esporte e Esporte Espetacular fará a cobertura de todas as sete etapas programadas para este ano.

A presença de um nome de peso para a realização da cobertura da categoria nas redes sociais reforça a estratégia da Mitsubishi Motors em dar grande foco na divulgação da temporada 2021 da Mitsubishi Cup.

Nome bem conhecido dentro do meio esportivo no Brasil, Moré marcará presença em todas as etapas, interagindo com pilotos navegadores e equipes, além, claro de contar tudo o que acontece em cada dia da competição.

“A parceria com um nome de peso como o de Ivan Moré reforça a estratégia da Mitsubishi Motors em ampliar a visibilidade da categoria, que também terá cobertura na TV aberta e por assinatura, por meio de parcerias firmadas com grupos como Globo, Band, Warner Media, canais ESPN, Discovery e CNN”, afirma Letícia Mesquita A. Oliveira, diretora de marketing da Mitsubishi Motors no Brasil.

Sobre a Mitsubishi Cup

Organizada em parceria com a Spinelli Racing, a Mitsubishi Cup é aberta a todos aqueles que curtem acelerar um veículo especialmente preparado, em meio às mais desafiadoras estradas de terra espalhadas pelo Estado de São Paulo.

A competição oferece a pilotos e navegadores a experiência de participarem de um rally que segue os regulamentos estabelecidos pela Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA), tudo em um ambiente familiar e prazeroso.

Com categorias para todos os níveis de participantes, a Mitsubishi Cup é a competição ideal para empresários e profissionais de diferentes áreas, amantes da velocidade, que enxergam o automobilismo e especialmente o rally como um hobby a ser praticado durante os finais de semana. A competição também é uma oportunidade perfeita para aqueles que estão trabalhando para se tornar um piloto ou navegador profissional.

Na temporada 2021, os participantes serão divididos em sete categorias de acordo com o veículo e o nível de experiência em competições do gênero: Outlander Sport R, Outlander Sport R Pró, L200 Triton ER, L200 Triton ER Pró, L200 Triton Sport R, L200 Triton Sport R Pró e L200 Triton Sport RS.

Para participar não é exigida nenhuma experiência prévia de pilotos e navegadores. As categorias “Pró” são condicionadas à participação de, no mínimo, dez veículos inscritos na primeira etapa da temporada.

Calendário 2021

Confira abaixo o calendário das provas da temporada 2021 da Mitsubishi Cup:

  • 22 e 23 de maio (rodada dupla) – Mogi Guaçu (Autódromo Velocitta)
  • 26 de junho – Iracemápolis
  • 31 de julho – Mogi Guaçu (Autódromo Velocitta)
  • 25 de setembro – Cordeirópolis
  • 23 de outubro – Jaguariúna
  • 20 de novembro – Mogi Guaçu (Autódromo Velocitta)

A temporada 2021 da Mitubishi Cup tem patrocínio de Lubrax-Petrobras, W.Truffi Blindados, Axalta, Banco Itaú, Pirelli, Harman-JBL, Mit Consórcio, Pilkington e Mit Seguros.

Sobre a HPE Automotores

A HPE Automotores do Brasil é a representante oficial da Mitsubishi Motors no País. Tem escritório no coração comercial de São Paulo (SP), fábrica em Catalão (GO) e concessionárias espalhadas por todo o território brasileiro. A empresa está no mercado desde 1991 e, além de produzir e vender veículos de alta qualidade, organiza eventos esportivos com clientes há mais de 25 anos.

Para a HPE, ser 4×4 é um estilo de vida.

Para mais informações sobre a HPE Automotores, por favor, contate: Gabriel S. El’Bredy – gabrielbredy@hpeautos.com.br – Tel.: + 55 11 5694-2789 / 11 9 9937-6820

Categorias
Geral

CALENDÁRIO 2021

GT SPRINT RACE

Etapa 1 – 14/03 – Velocitta – SP 

Etapa 2 – 11/04 – Curitiba – PR

Etapa 3 – 23/05 – Goiânia – GO (Special Edition)

Etapa 4 – 27/06 – Interlagos – SP

Etapa 5 – 18/07 – Cascavel – PR

Etapa 6 – 15/08 – Tarumã – RS (Special Edition)

Etapa 7 – 03/10 – Juiz de Fora – MG (Special Edition)

Etapa 8 – 31/10 – A definir

Etapa 9 – 05/12 – Curitiba – PR | HB20 | Truck

COPA TRUCK

Etapa 1 – 10/04 – Curitiba – PR

Etapa 2 – 11/04 – Curitiba – PR

Etapa 3 – 23/05 – Goiânia – GO

Etapa 4 – 27/06 – Interlagos – SP

Etapa 5 – 17/07 – Cascavel – PR

Etapa 6 – 18/07 – Cascavel – PR

Etapa 6 – 15/08 – Tarumã – RS  

Etapa 7 – 02/10 – Juiz de Fora – MG

Etapa 9 – 05/12 – Curitiba – PR

COPA HB20

Etapa 1 – 14/03 – Velocitta – SP 

Etapa 2 – 11/04 – Curitiba – PR

Etapa 3 – 23/05 – Goiânia – GO  

Etapa 4 – 27/06 – Interlagos – SP

Etapa 5 – 18/07 – Cascavel – PR

Etapa 6 – 15/08 – Tarumã – RS  

Etapa 7 – 03/10 – Juiz de Fora – MG  

Etapa 8 – 05/12 – Curitiba – PR

STOCK CAR E STOCK LIGHT

Etapa 1 – 28/03 – Velopark (RS) – 1ª Stock Car, 1ª Stock Light
Etapa 2 – 25/04 – Londrina (PR) – 2ª Stock Car
Etapa 3 – 16/05 – Interlagos (SP) – 3ª Stock Car, 2ª Stock Light
Etapa 4 – 20/06 – Goiânia (GO) – 4ª Stock Car, 3ª Stock Light
Etapa 5 – 11/07 – Cascavel (PR) – 5ª Stock Car
Etapa 6 – 15/08 – Curitiba (PR) – 6ª Stock Car, 4ª Stock Light
Etapa 7 – 19/09 – Santa Cruz do Sul (RS) – 7ª Stock Car, 5ª Stock Light
Etapa 8 – 24/10 – Velocitta (SP) – 8ª Stock Car, 6ª Stock Light
Etapa 9 – 21/11 – Goiânia (GO) – 9ª Stock Car, 7ª Stock Light
Etapa 10 – 12/12 – A definir – 10ª Stock Car, 8ª Stock Light

DUNAS – SERTÕES E SERTÕES SERIES

13 a 15/05 – Rally de São Paulo – Ilha Comprida/SP

15/05 – Anúncio do roteiro Sertões

15 a 19/06 – Series Baja Jalapão – (2 etapas Copa do Mundo de Baja/ FIM até São Felix)

***23 a 27/06 – Baja Jalapão 500 Milhas – Tocantins (Estilo Baja Americano)

13 a 22/08 – Sertões 2021 – Largada RN (prólogo + 09 etapas)

08 a 14/10 – Sertões Kitesurf: Rally dos Mares

03 a 06/11 – Series Caminhos da Neve

BRASILEIRO DE RALLY CROSS COUNTRY

Etapa 1 – 20 a 24/04 – RN 1500 – Campina Grande/PB a Natal/RN

Etapa 2 – 16/05 – SERIES – SP

Etapa 3 – 16 a 19/06 – JALAPÃO – LEM/BA (largada e chegada)  

Etapa 4 – 13 a 22/08 – SERTÕES

Etapa 5 – 01 a 03/10 – Rally de Barretos

Etapa 6 – 07/11 – Rally Caminho das Neves

BRASILEIRO DE RALLY BAJA

Etapa 1 – 28/03 – Arena Produções

Etapa 2 – 02/05 – Arena Produções

Etapa 3 – 30/05 – Rally Santa Catarina

Etapa 4 – 18/07 – Arena Produções

Etapa 5 – 19/09 – Maringá/PR

Etapa 6 – 01 a 03/10 – Rally de Barretos

Etapa 7 – 17/10 – Arena Produções

Etapa 8 – 21/11 – Arena Produções

Etapa 9 – 12/12 – Rally dos Amigos

MITSUBISHI CUP

Etapa 1 – 10/04 – Mogi Guaçu/SP

Etapa 2 – 22/05 – Ribeirão Preto/SP

Etapa 3 – 26/06 – Iracemápolis/SP

Etapa 4 – 31/07 – Mogi Guaçu/SP

Etapa 5 – 25/09 – Cordeirópolis/SP

Etapa 6 – 23/10 – Jaguariúna/SP

Etapa 7 – 20/11 – Mogi Guaçu/SP

RALLY DE REGULARIDADE:

34º PIOCERÁ – 26 a 30/01 – Teresina/PI a Aquiraz/CE

27º TRANSPARANÁ – 16 a 20/02 – Foz do Iguaçu a Curitiba/PR

22º RALLY ÁGUAS QUENTES – 27 e 28/03 – Brasileiro, Goiano e Centro-Oeste de Regularidade – Caldas Novas/GO

13º TRANSCATARINA – 06 a 10 de julho – Fraiburgo/SC

24º RALLY DO CERRADO – Goianésia/GO – Brasileiro e Goiano de Regularidade

Categorias
Geral

Artigo médico: A importância da vacinação: mitos e verdades

Por Dr. Alexandre Okamori*

Diante do impacto da pandemia de Covid-19 sobre a vida de todos, a chegada de uma vacina segura e eficaz, atualmente, é a notícia mais aguardada em todo o mundo. Frente ao desafio de pesquisadores de diversos países, as informações circulam rapidamente e, junto delas, também correm os boatos e “fake news” sobre o tema, colocando em risco a credibilidade desta que representa um dos mais importantes avanços da história da medicina.

Dessa forma, garantir a veracidade das informações que chegam até nós sobre o assunto é vital para conseguirmos controlar e evitar a propagação das doenças.

A maioria das enfermidades que podem ser prevenidas por vacina é transmitida pelo contato com objetos contaminados ou por gotículas de saliva expelidas pela tosse, espirros ou fala. Vale ressaltar que a vacina continua sendo a melhor forma de prevenção para muitas doenças graves e as complicações que podem surgir, inclusive já ajudou a erradicar a poliomielite e a varíola.

As vacinas são produzidas com o vírus ou bactéria inativa ou com partes desses agentes. Devido a isso, elas não provocam a doença, mas conseguem estimular o sistema imunológico a produzir anticorpos para combatê-la. Assim, se a pessoa tiver contato com o agente causador da doença, já tem anticorpos para evitar que a doença progrida.

Além da proteção individual, a vacinação é de suma importância para a famosa imunidade de rebanho. Isso quer dizer que é necessário que uma porcentagem x da população (entre 85% e 95%) seja imunizada para evitar a circulação do vírus.

O ideal seria que todas as pessoas pudessem ser imunizadas, mas algumas não podem ser vacinadas. É o caso de pessoas que estão imunossuprimidas, ou seja, com alguma doença ou tratamento que diminua as suas defesas imunológicas e, portanto, não podem tomar a vacina.

No entanto, se todos que puderem tomar vacina o fizerem, vão proteger aqueles que não podem. Estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Universidade de Oxford apontam que a vacinação em massa evita de 2 a 5 milhões de mortes por ano no mundo.

Entre as diversas informações erradas sobre as vacinas, existem algumas que merecem esclarecimento:

  1. “Não é necessário fazer vacinação de doenças já quase erradicadas”

A vacinação impede que essas doenças voltem, mesmo que estejam quase erradicadas. O sarampo, por exemplo, é um caso de doença que estava controlada e cujos números voltaram a crescer porque uma parcela da população parou de se vacinar.

  1. “Vacinas causam autismo”

O tema ganhou força com a divulgação de um artigo escrito pelo médico Andrew Wakefield em 1998. No entanto, em 2010 essa hipótese foi totalmente retratada devido à descoberta de diversas informações falsas e acordos envolvendo o pesquisador e advogados relacionados à processos por danos vacinais.

  1. “Vacinas tem vários efeitos colaterais ainda desconhecidos”

Em geral, as vacinas não apresentam efeitos colaterais graves. Os casos agudos são raros e não puderam ser associados exclusivamente à vacina, uma vez que outros fatores, como a predisposição genética, também estão envolvidos.

  1. “Vacinas contém mercúrio, que é perigoso para a saúde”

Algumas vacinas podem conter timerosal, um composto orgânico a base de mercúrio. Porém, a quantidade usada é muito baixa, alguns trabalhos mostram que, na alimentação, por exemplo, a dose ingerida de mercúrio é maior.

Em resumo, os riscos associados ao uso de vacinas são largamente sobrepujados pelos riscos da não vacinação, que pode, como já dito, provocar a perda de milhões de vidas. Dessa forma, é obrigação dos profissionais de saúde divulgar os benefícios da vacinação e combater as informações e evidências supostamente científicas que tentam trazer descrédito à vacinação como forma de proteger a população.

Dr. Alexandre Okamori é imunologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo

Categorias
Geral

O garoto Luiz Felipe Payá de Carvalho fica em vice no Festival Velopark de Arrancada 2020

Foram quatro dias de disputas na 3ª edição do evento, que aconteceu de 03 a 06 de dezembro no Autódromo de Nova Santa Rita (RS)

No último final de semana em Nova Santa Rita (RS), o piloto Luiz Felipe Payá de Carvalho (Injepro / Dadinho Preparações) conquistou resultados positivos na categoria Dragster Jr. 9 segundos em que disputou a 3ª edição do Festival Velopark de Arrancada, considerado o maior da arrancada latino-americana.

Enfrentando tempo adverso, os equipamentos da equipe paulista mostraram grande desempenho e resistência durante os dias de treinos do certame, que contou com aproximadamente 250 inscritos, realizado entre os dias 03 e 06 de dezembro.

“O evento como sempre grandioso, muito bem organizado, e com os principais carros de arrancada do Brasil e da América Latina presentes, foi fantástico. Quanto a nossa participação, foi a primeira prova oficial que participamos com a nova configuração de motor sobre alimentado, conseguimos excelentes resultados, saindo do evento com o tempo mais rápido da categoria, virando na casa dos 9,3 segundos nos 201 metros”, destacou o piloto Luiz Felipe.

Aos 11 anos, o garoto de Osasco/SP garantiu o troféu de vice na categoria Dragster Jr. 9 segundos. “Sempre é uma alegria muito grande estar presente no festival, dividindo a pista com os maiores nomes da modalidade”, disse. “Osasco é um berço muito grande de equipes e pilotos da arrancada, e poder fazer parte desse grupo de pilotos representando nossa cidade, é uma honra muito grande”, mencionou.

“Fomos classificados para a final, porém, o mal tempo não permitiu que a prova fosse concluída, desta forma, o resultado foi formado pelos tempos das chaves classificatórias, o que nos deixou com o 2° lugar na categoria 9 segundos”, completou o piloto que comandou o Dragster de número 95 nas cores Laranja e Roxo de motor Honda 13hp (mesmo usado em kart), com retrabalho de cabeçote, pistão e biela forjado, que hoje, produz aproximadamente 40hp.

Luiz Felipe já computa no histórico o título de vice-campeão do Festival Velopark de Arrancada de 2019 e acumula um título de campeão na temporada 2018. Conquistou duas vezes o vice-campeonato no Paulista de Arrancada e, ainda, acumula várias outras vitórias em provas festivas ou regionais.

Luiz Felipe Payá de Carvalho conta com o patrocínio de Matukiwa Medicina Diagnóstica, InjePro, Centro de Formação Automotiva e América Parts, e apoios da Sparco, Tintas Leme, Lotse Volantes, FF Embreagens, AG Componentes, MCO Tuning, Nascar Autosport, K18 Bicos Injetores, M.A.R. Projetos Especiais, Dolenc Motor Clássics e Vini Soldas Especiais.

Mais informações:

Instagram e Facebook: @luizfelipedragjr

Consultoria e Assessoria de Comunicação

SIG Comunicação |sig@sigcomunicacao.com.br

Silvana Grezzana Santos | + 55 (11) 999.726.966

www.sigcomunicacao.com.br

Crédito fotos: Luciano Santos/SiGCom